Apoios:

Bem! Por maus caminhos!

Sexta-feira, 01 de Maio de 2015
O nome dado a este passeio "Bem! Por maus caminhos!", tem ligação com a crónica publicada na revista "Bikes World" na sua edição de Maio, onde o Clube MoucaBTT é divulgado. A expressão "Sempre bem por maus caminhos" reflete o que realmente tentamos fazer, nesta sexta-feira fizemos jus ao nome escolhido.
Às 08H00, com saída do Largo da República em Agualva, começou mais um passeio de BTT. Foram 7 Moukistas que pedalaram em direção à Serra de Sintra com o propósito de disfrutar dos trilhos que por ali abundam.
O traçado marcado era difícil, muito técnico e fisicamente muito forte, mas as bikes rolavam e só depois de devorarem os quase 60 kms, e os 1400 mts de acumulado de subida é que esta malta regressou ao Largo da República, com 04H30 de dura pedalação, mas com uma satisfação imensa por mais um passeio superado de forma superior.
O caminho até ao sopé da serra foi feito em alcatrão passando por Rio de Mouro, Bº da Colónia Penal e entrando na serra depois de atravessar a N9, em direção à Lagoa Azul. Até aqui tudo rolava a bom ritmo, mas, a primeira subida do dia estava a chegar. A Pedra Branca esperava por nós. Dos 180 mts fomos até aos 290 mts em 600 mts!!! Para complicar a terreno estava cheio de regueiras, uma roda em falso e todo o esforço ficava ali mesmo.
Alcançamos a Barragem da Mula e nova subida até ao sopé do Cabeço da Raposa, lado Este. Aqui começou a adrenalina a subir e o terreno a descer. Foram 2 kms espetaculares, por trilhos estreitos, e perigosos, fomos dos 277 mts até aos 166 mts num ápice, com 129 mts de acumulado de descida. Momento hilariante, a passagem sobre a ponte redonda, em madeira e a transposição de um estreito pontão em cimento.
Quem muito desce muito sobe e lá fomos outra vez serra acima. Nesta altura andávamos nas imediações da Malveira da Serra. Agora o objetivo era atingir a Peninha. Começou então o sobe, sobe e sobe. Com passagem pela Tapada da Roçada. Ao atingir o cume estava na hora da já merecida pausa com reposição de líquidos e sólidos. Estávamos sensivelmente a meio, chegava a hora de regressar, mas, os trilhos escolhidos não nos iam dar tréguas.
Saídos da Peninha entramos no Trilho da Viúva, para logo em seguida voltar a subir para a Fonte das Pedras Irmãs. Com o piso propício a grande velocidade, rapidamente alcançamos a cancela da Pedra Amarela, sem hesitar subimos até ao posto de vigia. Depois veio outro momento alto: descida até às imediações do Pisão.
Estávamos nos 386 mts e descemos até aos 100 mts, numa distancia de 3,5 kms, trilho muito técnico e complicado, tendo em conta a velocidade com que a descida é feita, a concentração tem de ser total. Alucinante!
Atingimos a Atrozela pelo Trilho dos Agriões, seguindo por Albarraque, Covas até ao Largo da República.
MoucaBTT, sempre meia roda na frente.


4 comentários:

Anónimo disse...

Passeio com tamanha dureza, só foi possível ser realizado aproveitando a ausência do João Pires!

Henrique Ramos disse...

Grande passeio,os Cotas estão em grande forma ninguem os para.Só tive pena do António que teve de dar ao pedal para andar na cabeça do grupo porque não teve que acompanhar o Pires.
um grande abraço.
HRamos

Manuel Sousa disse...

Este, entre muitos que já desfrutamos na Serra de Sintra foi de alguma dificuldade mas em contrapartida o mais espectacular trilho ( passeio ) que curti nesta serra maravilhosa, como o próprio titulo indica, " Bem! Por maus caminhos! ".
Saudações Moukistas
MSousa

Luís Pina disse...

Muito à frente! Tirando o pormenor do portão que plantaram no track desenhado, parece-me que este "passeio" para uns, suplicio para outros, atingiu bitola muito elevada. No entanto, continuo a defender que para fazer Sintra com esta dificuldade, tem de se começar em Sintra. O caminho de ida e volta massacra sem necessidade. Para os que não estiveram presentes, digo que perderam um dos grandes momentos de All Mountain da MoucaBTT. Tivemos um pouco de tudo. Bem! Por maus caminhos! Parabéns aos que aceitaram o desafio. Sempre meia roda na frente. Luís Pina.