Apoios:

Cold Ride

domingo, 27 de novembro de 2016
Cold Ride
A analisar pelo nome do passeio, o frio seria presença certa por entre os 11 Moukistas que compareceram ao repto que lhes foi lançado previamente. Pelas 8:15h, após a chegada deste vosso escriba Moukista, que de outras corridas vinha, deu-se início à pedalação com a boa disposição e vontade que já são habituais.

O grupo tomou assim a direcção ao alto do Cacém, passando por Paiões, rolando até Albarraque e posteriormente com Manique de Cima à vista, era agora tempo de abordar o terreno preferido destes betetistas, a terra… que por sinal, fruto da intensa precipitação de dias anteriores, se encontrava num estado mais “fofo” ou sem rodeios, lamacento, havendo neste momento, Moukistas que sugeriam a alteração do nome deste passeio para Muddy Ride ou mesmo Wet Ride… Ainda assim, mesmo em condições mais adversas, este desporto gera sorrisos e verdadeiros momentos de catarse sempre potenciados pelo convívio de todos…
Agora chegados a Atrozela, a banda sonora do passeio era dada pelos motores das máquinas que circulavam no Autódromo do Estoril a grande velocidade, nada que distraísse este grupo do seu foco. Era agora tempo de entrar em novos trilhos que nos levariam à Quinta do Pisão, estando agora a bucólica Serra de Sintra no nosso “ambiente de trabalho”. Serpenteando pelos terrenos do Pisão, passamos por Janas onde o PP questionou após uma entrada num trilho que não se apresentava nas melhores condições, o caminho que o grupo quereria tomar. Neste momento, pela imponente condição vocal, o Moukista Pires sugeriu o Trilho do Abano tendo sido logo do agrado de todos. Deu-se assim repto à máxima de que o cliente quer, o cliente tem!
Ainda antes da entrada no Trilho do Abano, tempo para a já habitual selfie de grupo. Já neste trilho, fortes momentos de adrenalina foram emergindo no grupo, apenas abrandando por breves momentos face à condição lamacenta do terreno. Agora no forte do Guincho, pedalou-se pela Marginal em direcção a Cascais. Com velocidades na casa dos 35kms, e perante a ausência de vento e frio, tão caraterísticos neste local e nesta altura do ano era tempo de abrandar e até mesmo caminhar pois a via encontrava-se encerrada devido à 3ª Corrida Juntos contra a Fome. Ainda assim, passamos junto à Boca do Inferno para posteriormente com a Baía de Cascais em fundo seguir-se o reforço alimentar, mesmo a tempo de ver o conterrâneo José Gaspar vencer a referida prova de corrida.
Com o PP a referir que ainda faltavam cerca de 30 kms para o fim, o grupo rolou com novamente pela estrada marginal com uma temperatura amena, passando por São João do Estoril, Carcavelos para depois em Caxias virar já em direcção a norte para o retorno a Agualva, tendo-se passado por Barcarena, Tercena e posteriormente Massamá.
Após a passagem do IC 19, estávamos agora em Agualva, tendo-se pedalado até à sede da MoucaBTT onde se perfez um total aproximado de 62 kms com um acumulado positivo de 820 mts. Era agora tempo para o habitual sumo de cevada e malte que tantas propriedades isotónicas tem nestes Moukistas e para mais uns momentos de salutar convívio, num dia que para fazer juz ao nome que lhe tinha sido atribuído inicialmente e para gáudio destes Moukistas, apenas o frio faltou…
"O Moukista 51"

Sem comentários: